Indicadores

R$ 1.045,00

b_sal_reg
R$ 1.294,34
b_sal_fam
R$ 46,54 (para quem ganha
até R$ 907,77)
R$ 32,80 (para quem ganha
de R$ 907,77 até R$ 1.364,43)
R$ 0,00 (para quem ganha
acima de R$ 1.364,43)
b_desc_inss
Salário até R$ 1.045,00
desconto 7,5%
De R$ 1.045,01 até R$ 2.089,60
desconto de   9%
De R$ 2.089,61 até R$ 3.134,00
desconto de   12%
De R$ 3.134,41 até R$ 6.101,06
desconto de   14%
Teto do salário de contribuição
R$ 6.101,06
 
 

 banner-informativo-75

saude-trabalhador

 

confira-resultados-pre-olimpico-2019

PostHeaderIcon COVID 19 - DIREÇÃO DO FRIGORÍFICO SILVA ATENDE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DA ALIMENTAÇÃO


09-2020-01Em resposta à manifestação pública do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias e Cooperativas da Alimentação de Santa Maria e Região – SINTICAL sobre a saúde dos funcionários do Frigorífico Silva, a direção da empresa reuniu-se com o Sindicato e informou sobre a situação e medidas de enfrentamento do surto de Covid 19. A reunião ocorreu ontem, dia três de setembro, durante lançamento da campanha deflagrada pela Confederação Brasileira Democrática dos Trabalhadores da Alimentação – Contac-CUT, Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins – CNTA e Regional Latinoamericana de la UITA - REL-UITA, que denunciam a resistência das grandes empresas, com raras exceções, em adotar medidas de proteção à Covid 19 enquanto aumentam consideravelmente seus lucros durante a pandemia.

Após a reunião, a direção da empresa afirmou em documento enviado ao Sindicato que, desde o início da pandemia “as medidas adotadas para contenção da COVID19 vêm sendo discutidas e fiscalizadas pela Vigilância em Saúde do município de Santa Maria, pelos fiscais da Inspeção do Trabalho e pelo Ministério Público do Trabalho”. E que “apesar da adoção de todos os procedimentos recomendados, houve aumento significativo do número de casos positivos resultando na necessidade de intensificação dos procedimentos adotados até então e a testagem massiva dos trabalhadores”.
Para possibilitar a execução dos novos procedimentos ajustados entre a empresa e os órgãos acima listados, a indústria não realizou abate e desossa nesta semana, liberando todos os trabalhadores destes setores. Isso porque, o protocolo de testagem exige duas coletas com intervalo de 72 horas sem retorno do trabalhador à atividade até o resultado das duas testagens. Este procedimento de testagem, com afastamento das atividades, também será adotado para os trabalhadores de outros setores, informou a direção da empresa.
Por fim, a direção do frigorífico entregou ao Sindicato a relação dos empregados suspeitos e testados positivos, atualizada até 31/08/2020, o que demonstra a extensão do surto na empresa e a redução de pessoal para atender a demanda.
Os procedimentos tomados pela empresa também são assinalados em Termo de Ajuste de Conduta, firmado dia três de setembro, com o Ministério Público do visam garantir a saúde dos trabalhadores da empresa e reduzir o impacto na saúde pública local:
O termo prevê que o frigorífico teste todos os trabalhadores, próprios e terceirizados, por meio de RT-PCR (teste molecular), com paralisação temporária das atividades, para contenção de surto do novo coronavírus. “Os trabalhadores serão submetidos a dupla testagem, sendo que cada coleta será realizada com intervalo de 72 horas. Retornarão ao trabalho aqueles que tiverem diagnóstico negativo para a doença nos dois testes, de modo a interromper o avanço da doença no ambiente. Os casos positivos serão afastados por 14 dias, sendo que ao final do período retornam às atividades se assintomáticos por 72 horas”.
O TAC prevê, ainda, “a implantação de medidas de vigilância ativa e triagem periódica de trabalhadores, além do fornecimento de equipamentos de proteção individual (EPIs), como face shield e máscaras cirúrgicas com elemento filtrante ou respiradores particulados PFF2. Foram pactuadas medidas de rastreabilidade de trabalhadores para identificação segura de contactantes, bem como introdução de rotina de testagem periódica dos trabalhadores, de forma que 10% dos trabalhadores da unidade sejam testados periodicamente a cada 10 dias, com vistas a viabilizar a rápida detecção de eventuais contaminados assintomáticos e o bloqueio da cadeia de transmissão”.
Para a direção do SINTICAL, a atitude da direção da empresa foi positiva e é resultado da manifestação da entidade, que sempre cobrou a sua participação em qualquer assunto ligado à vida dos trabalhadores. Segundo o diretor do Sindicato, Valdemir Corrêa, “mais do que nunca essa é a nossa posição”; assim, desde segunda-feira, dia 31, exigia reunir-se com a direção do frigorífico, pois a saúde do trabalhador sempre foi prioridade para o SINTICAL.

Maiores informações com Valdemir Corrêa, pelos fones (55) 999.771960 ou 3221.7054