Indicadores

R$ 998,00

b_sal_reg
R$ 1.294,34
b_sal_fam
R$ 46,54 (para quem ganha
até R$ 907,77)
R$ 32,80 (para quem ganha
de R$ 907,77 até R$ 1.364,43)
R$ 0,00 (para quem ganha
acima de R$ 1.364,43)
b_desc_inss
Salários até R$ 1.751,81
desconto de   8%
De R$ 1.751,81 até R$ 2.919,72
desconto de   9%
De R$ 2.919,73 até R$ 5.839,45
desconto de   11%
 
 

 saude-trabalhador

 

pre-olimpico-2018

PostHeaderIcon SINTICAL participa de mobilizações no dia nacional de luta em defesa da aposentadoria


Na tarde de sexta-feira (22), milhares de pessoas foram às ruas de Santa Maria, na luta em defesa da previdência e da aposentadoria e contra a reforma proposta pelo governo Bolsonaro.
A mobilização começou com uma grande concentração na Praça Saldanha Marinho, com manifestações de dirigentes sindicais e lideranças populares, seguida de uma caminhada pelas principais ruas do centro da cidade, onde não faltaram cartazes, bandeiras e palavras de ordem.


Atodia22IIIAntes de marcarem presença nas atividades realizadas no centro de Santa Maria, dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação – SINTICAL, realizaram panfletagens nas portas de fábricas, desde as 6h da manhã, nas principais empresas do ramo. O objetivo foi esclarecer sobre os pontos da Reforma da Previdência que mais prejudicam os trabalhadores.
No ato público, o Secretário Geral do SINTICAL, Valdemir Corrêa, citou os resultados da CPI da previdência presidida pelo Senador Paulo Paim, a qual constatou que não existe déficit e sim um problema de gestão e administração, pois existe sonegação, fraudes, grandes devedores que não são cobrados e desvios do dinheiro da previdência para outras áreas. “Os órgãos de fiscalização e controle não cumprem o seu papel”, afirmou Corrêa.
Conforme Valdemir Corrêa, quando Temer propôs a Reforma da Previdência, parecia que nada poderia ser pior, mas as maldades contidas na proposta do governo Bolsonaro são ainda mais cruéis, pois se inspira no modelo implantado no Chile, com resultados catastróficos.
“O regime de capitalização afasta o estado e os empresários das contribuições e a contribuição do trabalhador não é suficiente para garantir uma aposentadoria digna. Mais da metade dos trabalhadores aposentados chilenos ganham menos de 50% do salário mínimo. Com a privatização do Sistema, somente os bancos e as empresas de previdência ganham”, completou Corrêa.

Atodia22